A Diretoria de Gestão Ambiental do Daae, por intermédio de sua Unidade de Gestão de Fauna (UGFA) - Gerência de Biodiversidade – fotografou na última semana, uma jaguatirica (Leopardus pardalis) nas áreas verdes do município.

De acordo com a UGFA, o registro desta e de outras espécies, ameaçadas de extinção, tem aumentado nos últimos três anos, como o veado-catingueiro, tamanduá-bandeira e mirim, gatos-do-mato, mouriscos, lobo-guarás além de iraras, cotias, quatis, gambás e outros mamíferos. A presença destes animais é um sinal de que existe ainda refúgio e biodiversidade (vegetação, alimentação e parceiros reprodutivos) no município para mantê-los.

Nesse sentido, a Diretoria de Gestão Ambiental tem se empenhado na expansão das áreas de reflorestamento, nas ações de fiscalização contra as queimadas urbanas e descarte irregular de resíduos da construção civil, bem como nas atividades de educação ambiental.

De acordo com Kátia Matteo, diretora de Gestão Ambiental do Daae, o próximo passo de sua diretoria será consolidar as ações de manutenção das áreas prioritárias para a conservação da biodiversidade, através da criação de novas Unidades de Conservação Municipal. A primeira a ser criada será o Parque do Basalto, local que serve de refúgio para diversas espécies animais, inclusive migratórias.

Assessoria de Comunicação, 03 de fevereiro de 2020.

Pin It

Enquete Daae

O que você acha do trabalho de Educação Ambiental desenvolvido pelo Daae?

facebook

Back to top